Relatório «O Estado da Saúde na UE»

No dia 5 de dezembro haverá uma presentação Pública do Relatório «O Estado da Saúde na UE» – Perfil de Saúde em Portugal. Mais informações

Em 2016, a Comissão Europeia lançou o ciclo de mediação de conhecimentos Situação da Saúde na UE, a fim de ajudar os Estados-Membros da UE a melhorar a saúde dos seus cidadãos e o desempenho dos seus sistemas de saúde. Os relatórios colmatam uma lacuna de informação em termos de uma análise global e sensível ao contexto, que foi identificada como um grande obstáculo para os decisores políticos no domínio da saúde. Os relatórios têm sido amplamente utilizados pelas autoridades nacionais.

Principais conclusões

Os perfis de saúde por país fazem uma análise aprofundada dos sistemas de saúde, contemplando a saúde da população e os fatores de risco importantes, bem como a eficácia, a acessibilidade e a resiliência dos sistemas de saúde em cada Estado-Membro da UE. Estes perfis refletem claramente os objetivos partilhados pelos Estados-Membros e revelam áreas potenciais em que a Comissão pode incentivar a aprendizagem mútua e o intercâmbio de boas práticas.

O relatório de acompanhamento revela algumas das maiores tendências a nível da transformação dos nossos sistemas de saúde:

  • A hesitação em vacinar é uma importante ameaça para a saúde pública em toda a Europa, que pode ser combatida através da melhoria da literacia no domínio da saúde, da luta contra a desinformação e da participação ativa dos profissionais do setor da saúde.
  • A transformação digital da promoção da saúde e da prevenção de doenças pode produzir vencedores e vencidos. As pessoas que mais beneficiariam da saúde móvel e de outras ferramentas digitais podem ser as menos suscetíveis a ter um acesso fácil a elas.
  • As lacunas na acessibilidade dos cuidados de saúde continuam ainda a ser uma realidade na UE. Tanto as necessidades clínicas como as características socioeconómicas dos doentes devem ser tidas em conta aquando da avaliação do acesso aos cuidados de saúde e dos seus muitos obstáculos.
  • As inovações a nível da combinação de competências entre a mão de obra no setor da saúde revelam um grande potencial para aumentar a resiliência dos sistemas de saúde. Há exemplos promissores de transferência de tarefas entre os profissionais da saúde em toda a UE, especialmente em termos de um reforço do papel dos enfermeiros e dos farmacêuticos.
  • O ciclo de vida dos medicamentos revela uma ampla margem para a cooperação entre os Estados-Membros na garantia de terapias seguras, eficazes e a preços acessíveis, o que inclui tudo, de uma despesa racional à prescrição responsável.

Os 30 perfis de saúde por país, o relatório de acompanhamento e mais informações de contexto podem ser consultados aqui.

O perfil de Portugal pode ser consultado aqui.